Categoria

Plantas

Categoria

Saiba como escolher plantas para a sua casa

Você já deve ter notado que o uso de plantas em ambientes internos faz muita diferença na decoração. Elas trazem beleza, um ar de aconchego e, muitas vezes, dão um toque de elegância. Mas é preciso pensar antes de escolher plantas para a casa. Afinal, cada tipo de planta e de ambiente tem necessidades e propósitos diferentes.

Preparamos este post para orientar você na escolha de plantas decorativas. Assim, vai ficar fácil trazer um pouco da natureza para dentro do seu lar. Continue a leitura e confira as plantas que melhor funcionam dentro de casa.

Cactos e suculentas

Essas plantinhas estão em alta ultimamente, e com razão. Elas trazem uma estética muito moderna, por fugirem das flores e folhas convencionais. São muito fáceis de cuidar, pois precisam de pouquíssima água. Ficam ótimas em cima de mesinhas — inclusive no quarto de dormir e no escritório — e, principalmente, em janelas, seja na cozinha ou no banheiro.

Os cactos e a maioria das suculentas gostam de bastante sol. Por isso, além de ficarem lindos no peitoril de uma janela, isso ainda os ajudará a viverem mais.

Flores

A maioria das flores se dá bem em locais fechados, pois são delicadas demais para tomar muito sol. Se você gosta de flores pequenas, opte por violetas. Elas são fáceis de cuidar, baratas e muito bonitas. Em se tratando de flores maiores, begônias têm belíssimas cores e se adaptam bem a ambientes internos.

Flores ficam muito bem em mesas de centro, na sala de visitas e sobre mesas de jantar. Caso você deseje usar flores na cozinha, é preciso tomar cuidado para deixá-las bem longe do fogão. Caso contrário, murcharão rapidamente devido ao calor intenso.

Dracenas e palmeiras-bambu

Plantas de porte maior, que ficam ótimas quando o vaso é colocado diretamente no chão, próximo à entrada da casa ou na sala de estar. Se o seu banheiro for espaçoso, também pode apostar em uma dessas plantas nele. Elas são muito fáceis de cuidar e trazem uma atmosfera de frescor — principalmente a palmeira-bambu, que é realmente uma palmeira, em tamanho reduzido.

São plantas resistentes — especialmente as dracenas. Portanto, se dão bem em cantos onde bate bastante luz do sol, e também podem ser usadas em áreas externas.

Trepadeiras

Se, ao escolher plantas para a casa, você quiser dar um ar mais rústico e tropical ao seu espaço, as trepadeiras são ideais, em especial a jiboia. Essa planta é originária da Polinésia Francesa, na América Central e, portanto, é superadaptada ao clima brasileiro.

Ela é fácil de cuidar, gosta de sombra e cresce rapidamente, tomando o formato do ambiente onde está. Fica linda na sala de estar, principalmente se colocada no alto, pois assim crescerá para baixo e ficará bem longa. Só não é recomendada para quem tem crianças pequenas ou animais de estimação, por ser tóxica quando ingerida.

Ao escolher plantas para a casa, é preciso essencialmente levar em consideração três coisas: o lugar que elas ficarão, a quantidade de sol que elas precisam e a facilidade em cuidar delas. Afinal, queremos que nossas plantas durem bastante e estejam sempre vistosas.

Agora, que você já sabe como escolher plantas para dentro da sua casa, confira nosso post sobre plantas em áreas externas!

Cercas vivas: como usar e quais são as espécies mais indicadas?

Deixar a casa aconchegante para receber amigos e familiares é um dos melhores investimentos que você pode fazer. E é claro que cuidar do jardim também faz parte disso. Para quem deseja transformar e dar um charme a esse espaço, o uso de cercas vivas é uma ótima pedida.

Além de delimitarem um determinado espaço, elas ainda protegem e decoram o ambiente, causando um efeito visual incrível!

Contudo, para ter um bom resultado, é preciso verificar o estado da área e escolher a espécie mais adequada. Também é importante fazer a limpeza por meio de podas para uma boa manutenção.

Neste post, você vai aprender dicas criativas e conhecer as espécies mais indicadas para investir em cercas vivas no seu jardim. Boa leitura!

Buxinho para delimitar uma área

Muito usado em jardins, o buxinho é um arbusto que pode chegar a 2m de altura, aproximadamente. A espécie também é muito utilizada na topiaria — técnica que consiste em dar formas artísticas às plantas por meio da poda.

Um jardim contornado com uma cerca viva de buxinho fica simplesmente lindo e demonstra criatividade. Por isso, aposte nesse tipo de planta para valorizar ainda mais a paisagem.

Murta para evitar pó e ruídos

A murta é uma árvore que pode atingir até 5m de altura. Ela possui folhas muito pequenas e próximas umas da outras, característica que proporciona mais privacidade e dificulta também a passagem de pó e ruídos. Quanto ao tamanho, vai depender da finalidade — e da sua preferência — para estipular a poda.

Tumbérgia-arbustiva para atrair beija-flores

Se você gosta de beija-flores e quer que eles visitem com frequência o seu jardim, a melhor opção é a tumbérgia-arbustiva.

Essa espécie pode chegar a 2,5m de altura. Suas flores roxas deixam tudo mais bonito e trazem uma boa energia para o lugar. Outra característica dessa planta é que, assim como a murta, ela também dificulta a entrada de pó e ruídos.

Podocarpo para impedir a passagem do vento

Originário do Japão e da China, o podocarpo (ou pinheiro-de-buda) é um arbusto que pode atingir incríveis 20m de altura.

Além de ser bastante versátil — já que pode ser usada em diversos tipos de jardins — essa espécie consegue impedir a entrada de vento e ainda tornar o ambiente mais elegante, garantindo um estilo todo especial.

Azaleias para cercas vivas floridas

Um jardim que vale a pena é aquele que transmite, sobretudo, uma sensação de bem-estar e alegria. Diante disso, você deve considerar o uso de azaleias.

As flores dessa espécie vão trazer beleza ao espaço, tornando-o também mais colorido e aconchegante. As azaleias podem crescer entre 1,5 a 2m de altura, proporcionando um visual encantador.

Viu como as cercas vivas podem revolucionar um jardim?

É importante conhecer algumas espécies e funções antes de iniciar um projeto paisagístico. Sendo assim, não deixe de consultar especialistas no assunto para ter um resultado alinhado ao seu objetivo.

Quer saber mais sobre paisagismo e organização de áreas externas? Então assine a nossa newsletter agora mesmo e receba conteúdos direto no seu e-mail!

Conheça as plantas purificadoras de ar ideais para sua casa

Ter plantas dentro de casa é ótimo, pois elas deixam o ambiente bonito e aconchegante. Mas você sabia que, além disso, algumas plantas podem contribuir para a saúde e bem-estar de sua família, melhorando a qualidade do ar?

Como você já sabe, as árvores absorvem gás carbônico e liberam oxigênio. As plantas, que são como árvores em miniatura, também possuem essa capacidade — e algumas são mais eficientes do que as outras.

A seguir, listamos plantas purificadoras de ar que são ideais para ambientes fechados. Confira!

Azaleia

Além de ser uma planta que dá lindas flores, a azaleia remove toxinas do ar, principalmente o formaldeído, substância encontrada no cigarro e em produtos fabricados a partir do petróleo, como sacolas plásticas.

As azaleias se darão muito bem no interior de sua casa, principalmente se ficarem próximas a janelas, pois precisam de muita luz do sol, mas gostam de temperaturas mais amenas.

Hera-inglesa

É uma planta trepadeira, ou seja, gosta de sombra, e cresce agarrando e tomando o formato do que estiver por perto. Ela melhora a umidade do ar, por isso, fará com que você e sua família respirem melhor em dias secos.

A hera-inglesa é muito eficiente na absorção de gás carbônico e da maioria das substâncias tóxicas presentes dentro de casa, como tricloroetileno, formaldeído e benzeno. Absorve inclusive toxinas presentes nas fezes que se dissipam no ar, sendo ideal para casas com animais de estimação. No entanto, é preciso ter cuidado com eles e com crianças para que não se aproximem muito da planta, pois sua ingestão pode ser perigosa.

Aloe vera

Popularmente conhecida como babosa, esta planta, além de ter usos medicinais e cosméticos, tem uma grande capacidade de absorção de gás carbônico, tanto por suas folhas quanto pelas raízes.

Por ser nativa de regiões quentes e secas, a aloe vera é muito fácil de cuidar. Deve ficar no ponto mais ensolarado da casa, mesmo que indoors, e precisa ser regada com pouca frequência, e ainda menos no inverno.

Crisântemo

Assim como a azaleia, é uma linda flor que ajuda a melhorar a qualidade do ar da casa. O crisântemo filtra principalmente o benzeno, substância presente no cigarro. Se você tem fumantes em casa, é a planta ideal para amenizar o desconforto causado aos demais.

O crisântemo gosta de temperaturas amenas, florescendo, inclusive, no outono e inverno. Deve ser regado com frequência, principalmente em dias mais quentes, e receber luz solar indireta.

Samambaias

Uma das plantas purificadoras de ar mais comuns nos lares brasileiros, a samambaia é bonita e muito fácil de cuidar, bastando deixar à sombra e regar com pouca frequência. Em ambientes internos, fica linda suspensa, em banheiros e cozinhas. Só tenha cuidado para que não seja ingerida, pois suas folhas são tóxicas.

As samambaias umidificam o ar, assim como a hera-inglesa. Além disso, absorvem poluentes e compostos orgânicos voláteis, que são hidrocarbonetos simples, presentes em sólidos ou líquidos de uso cotidiano (carpetes, colas, repelentes de inseto); estas substâncias evaporam a baixas temperaturas, e podem causar danos à saúde.

As plantas purificadoras de ar, além de embelezarem a casa, contribuirão para o conforto e saúde de sua família. Tudo isso sem gastar muito, nem ter muito trabalho para cuidar dos vasinhos. E falando em conforto, que tal aprender agora como manter o conforto térmico em casa?

O que você precisa saber para escolher um paisagista

Se tem uma coisa que revistas, filmes, propagandas e programas de televisão nos ensinaram é que não há nada mais bonito do que um belo jardim, cheio das mais variadas plantas, decoração impecável e cores agradáveis. E essa visão lúdica e aprazível de um paraíso particular pode ser criada por um paisagista.

Uma das grandes tendências na arquitetura e na decoração é a busca por meios de se aproximar da natureza. Por isso, profissionais como os paisagistas têm sido cada dia mais requisitados. São eles que criam, planejam e executam os sonhos estéticos de quem deseja ter um belo jardim.

Não por acaso, paisagistas são considerados artistas talentosos, capazes de projetar ambientes repletos de harmonia, cores, texturas, formas e beleza. Acompanhe este post, entenda um pouco mais sobre a profissão e aprenda como escolher um bom profissional!

Quem é o paisagista?

É o profissional treinado para fazer das plantas as grandes estrelas em um ambiente ou uma decoração. É a pessoa que, além disso, consegue integrar elementos complementares à paisagem criada, como pisos, caminhos, fontes, piscinas, acessos, áreas de lazer, entre outros.

E o paisagismo, apesar de ter ganhado o gosto popular recentemente, é secular. No Brasil, ele chegou junto com a família real. Dom Pedro II foi quem solicitou e financiou projetos como dos parques de Campo de Santana, São Cristóvão e São Clemente no Rio de Janeiro.

Referência da profissão, Roberto Burle Marx encantou o mundo com a inovação de suas obras. Paisagista autodidata, ele uniu em seus projetos outros talentos como os de artista plástico, pintor, designer, arquiteto e tapeceiro. Isso lhe rendeu parcerias com arquitetos como Lúcio Costa e Oscar Niemeyer.

O que ele faz?

Muitos o chamam de artista da natureza, uma alcunha delicada e gentil, já que é o paisagista quem assume a responsabilidade de projetar lugares destinados à diversão e bem-estar como praças, parques, espaços públicos, áreas verdes de empresas, jardins de casas, locais recreativos de condomínio, entre outros.

Entre suas funções está a defesa da ecologia, os cuidados com o meio ambiente e projetos de restauração e preservação já que é exigido dele conhecimentos técnicos de arquitetura, agronomia, botânica e engenharia florestal. 

É uma profissão regulamentada?

Apesar da polêmica sobre esse assunto, já que a Organização Internacional do Trabalho reconhece o paisagismo como profissão independente, a maior preocupação é a de criar órgãos reguladores e fiscalizadores que garantam a qualidade do profissional. 

Hoje, os profissionais paisagistas são apoiados pela Associação Nacional de Paisagismo, fundada em 1995. Apesar de não haver uma formação acadêmica específica para paisagista, existem incontáveis cursos e especializações na área.

Há uma grande luta pela regulamentação e consequente valorização da profissão. Isso possibilitaria uma concorrência mais leal entre os profissionais e um fortalecimento da categoria. 

O fascínio por essa profissão tão criativa tem crescido cada dia mais já que o paisagista não deixa apenas a paisagem bela… deixa o ambiente mais agradável, o ar renovado e o espaço vivo. Quer saber mais sobre o assunto? Curta nossa página no Facebook e não perca nadinha! Aproveite para conhecer nosso site e nos seguir no Instagram!