Categoria

Paisagismo

Categoria

De que maneira as plantas ornamentais podem ser usadas em um jardim?

Uma maneira de embelezar sua casa e trazer mais alegria para ela, seja na sala ou no quintal, é apostar em plantas ornamentais. Elas apresentam vários tipos, tamanhos e cores e podem harmonizar com diferentes ambientes, independentemente do tema ou estilo decorativo.

Mas você sabe o que são plantas ornamentais e como usá-las em casa? Para ajudar com esse assunto, preparamos um guia completo com dicas e orientações. Continue a leitura e confira!

O que são plantas ornamentais?

Qualquer planta que é cultivada por sua beleza pode ser chamada de planta ornamental. Isso significa que elas não necessariamente trazem outras vantagens além da estética, ou seja, nem sempre melhoram a qualidade do ar ou contêm folhas medicinais etc.

As plantas ornamentais podem ou não ter flores e, ainda, apresentarem grande, pequeno ou médio porte. Elas costumam ser colocadas nos ambientes externos e internos, de acordo com o paisagismo e a necessidade de sol.

Quais são as principais espécies?

Agora, falaremos um pouco sobre as plantas ornamentais mais utilizadas no Brasil. Saiba mais!

Cactos

Por serem exóticos, estão muito em alta. Para ambientes externos, pode-se usar a Wachuma, um cacto originário dos Andes. Já para interiores, o ideal é usar mini-cactos, que ficam ótimos sobre janelas e mesas.

Samambaias

As samambaias têm forte presença nas casas brasileiras. São fáceis de cuidar, gostam de sombra e trazem um ar aconchegante, tanto para varandas quanto para cozinhas. Para dar um novo visual a essas plantas clássicas, aposte em vasos bonitos e modernos.

Orquídea e jasmim

Essas duas belas flores perfumadas são queridinhas dos decoradores e muito fáceis de cuidar. As orquídeas gostam de meia-sombra, portanto, se adaptam melhor a ambientes internos. Já o jasmim pode ser plantado em áreas externas, desde que o local não tenha incidência de sol o dia inteiro.

Bromélia

A Neoregelia Carolinae é um tipo de bromélia para quem quer uma planta diferente. Essa espécie não gosta de sol, por isso, consegue viver somente com uma fonte de luz artificial. Além disso, não precisa ser regada todos os dias e pode ser encontrada em várias cores. É ideal para arranjos em ambientes internos, como salas e corredores.

Como utilizar as plantas ornamentais?

Esse tipo de planta pode ser mantido em qualquer ponto da casa, desde que combine com a decoração e contanto que seja respeitada a quantidade de luz e calor que cada espécie necessita.

Plantas maiores devem ser colocadas com o vaso diretamente no chão, e ficam ótimas em quintais ou na entrada da casa. Quem tem um jardim de inverno, ou seja, um cantinho verde no interior da residência, pode adicionar plantas pequenas sobre móveis presentes no ambiente, no parapeito de uma janela, em suportes pendentes ou em grades fixadas na parede.

Como cuidar das plantas ornamentais?

Ao adquirir uma espécie vegetal, é preciso aprender quais são suas necessidades em relação a água e luz do sol. A vantagem é que muitas plantas ornamentais são fáceis de cuidar e dispensam adubação, poda, etc.

Também é importante conferir se as mudas demandam algum cuidado especial. A bromélia e outras plantas com formato de copo, por exemplo, precisam que o excesso de água seja retirado de suas folhas e flores para evitar a atração de insetos.

Outro ponto crucial é pesquisar se as espécies selecionadas são venenosas quando ingeridas. Se forem, procure deixá-las em um lugar alto, longe do alcance de crianças e animais de estimação.

Ter plantas ornamentais deixará sua casa mais aconchegante e trará um belo toque de natureza. Isso tudo sem exigir muito tempo ou energia para cuidar dos vasinhos. Se você gostou deste post, compartilhe-o nas redes sociais para ajudar quem também pretende montar um jardim diferenciado!

Afinal, quando e por que contratar um paisagista?

Para muitos, o paisagismo é considerado um detalhe de menor importância e com pouco impacto em projetos residenciais. Porém, a verdade é que existem diversas vantagens em contratar um paisagista, pois há muitas coisas que um profissional dessa área pode fazer para melhorar sua qualidade de vida, além de trazer mais beleza para a casa.

Quer saber por que buscar o trabalho desse especialista? Continue a leitura para conferir os motivos e descobrir o momento certo de contratar!

Harmonia com o restante do projeto

Ao contratar um paisagista para criar um projeto para o seu jardim, você terá a garantia de que toda a parte paisagística estará em perfeita sintonia com o estilo de construção e decoração de sua casa. Qualquer leigo pode perceber a diferença na harmonia do projeto quando ele é feito por um paisagista profissional.

Estudo aprofundado

O paisagista é capaz de escolher exatamente as plantas adequadas para sua casa, não somente com base no estilo da residência, mas também levando em conta o solo e o clima local, a necessidade de água e as particularidades de cada espécie vegetal.

Ao comprar suas plantas por conta própria, você provavelmente acabará considerando apenas a beleza ou a tendência, correndo o risco de adquirir mudas que não se adaptam tão bem com o clima de sua cidade.

Escolha de plantas e iluminação

É possível utilizar os serviços de um paisagista nas áreas externas e internas da casa, em uma varanda ou um simples quintal de concreto. Porém, é na hora de compor um jardim que esse profissional costuma ser requisitado.

Isso porque, além de selecionar plantas, esse profissional pode escolher o tipo de planta (natural, permanente ou preservada) ideal, os recursos para iluminação da área (refletores de LED que se integrem ao projeto) e até mesmo os acessórios, como bancos e outros móveis.

Segurança da casa

Muitas pessoas gostam de ter árvores e plantas de grande porte em casa. Isso é possível, porém, é muito importante que seja feito com ajuda profissional. O paisagista vai analisar o tamanho das raízes da planta adulta para que ela não danifique a estrutura da construção futuramente.

Outros pontos importantes de segurança incluem verificar se os galhos não vão invadir o interior da casa, bem como adotar cuidados para que a planta não atraia pragas que se alimentam de suas folhas ou frutos.

Supervisão do trabalho

Na hora de tirar o projeto do papel, o paisagista saberá exatamente como coordenar a equipe para que a obra seja feita da maneira correta e dentro do prazo. Quem lida com isso sozinho não tem como saber se a execução está indo bem.

Além disso, você não precisará se preocupar com a contratação de mão-de-obra, pois esse profissional indicará jardineiros, pedreiros etc. de sua confiança. Por fim, o paisagista orientará sobre como manter suas plantas sempre vistosas e saudáveis.

Se você deseja criar ambientes internos e externos acolhedores e que proporcionem bem-estar para toda a família, significa que é hora de contratar um paisagista. Você também pode procurar esse tipo de serviço na hora de construir ou reformar a casa.

Caso esse seja seu objetivo no momento, aproveite para fazer uma consultoria conosco! Entre em contato que adoraremos deixar sua casa ainda mais bonita

Móveis para jardim, 6 dicas de como escolher

O jardim é uma das melhores partes da casa para reunir a família e os amigos e passar bons momentos. Você provavelmente já viu imagens de lindos jardins bem decorados e se perguntou se aqueles móveis funcionariam no seu, se seriam resistentes à chuva, entre outras questões. Por isso, preparamos este post para lhe ajudar a escolher os móveis para jardim ideais para sua casa. Confira!

1. Escolha o clássico

Madeira é a primeira coisa que pensamos na hora de escolher móveis para jardim. É um material bonito, resistente e versátil, pois pode ser encontrado em diversas tonalidades, com ou sem forro e junto de outros materiais. Além disso, sempre funciona para áreas externas. O único cuidado é que toda a madeira utilizada tenha acabamento impermeável, para que resista bem aos dias de chuva.

2. Use tecidos impermeáveis

Para forros, almofadas, e tudo que for de tecido, é imprescindível escolher os materiais certos. Eles devem repelir a água, ou secar rapidamente, evitando que a espuma ou outro enchimento fiquem molhados e apodreçam. Nesse sentido, recomendamos o jacquard, o couro, além de um novo queridinho dos decoradores, o acquablock, que também é resistente a arranhões de animais.

3. Instale tendas e coberturas

Certamente você encontrará móveis muito bonitos que não sejam tão resistentes ao clima. Se você não tem uma varanda ou gazebo, o ideal é comprar uma tenda ou toldo de lona, e montá-lo sobre uma parte do seu jardim. Além de protegerem seus móveis sem prejudicar a estética, eles são uma ótima opção para deixar as pessoas confortáveis durante um churrasco em dia quente, por exemplo.

4. Tenha cuidado com móveis metálicos

Mesas e cadeiras de ferro e alumínio são modernas, mas ao mesmo tempo remetem aos quintais de nossa infância. Elas trazem muito charme para as áreas externas, mas devem ficar somente em áreas cobertas. Além de o metal enferrujar se tomar chuva com frequência, também esquenta muito quando fica diretamente sob o sol, o que será bastante desconfortável na hora de sentar.

5. Aposte em materiais diferentes

Móveis em fibra (natural ou sintética) se tornaram tendência, pois além de geralmente serem feitos à mão e bastante personalizados, são muito resistentes e fáceis de limpar. Outra ideia é o uso de plásticos mais resistentes, que trarão mais modernidade, principalmente em cadeiras. Nesse caso, procure escolher linhas bem modernas, para que o plástico traga destaque ao ambiente.

6. Respeite seu estilo

É importante ficar de olho nas novas tendências e nas características de cada material, pois amplia suas opções. No entanto, não se baseie somente na moda para comprar seus móveis, pois ela está sempre mudando. Você precisa conhecer seus gostos e o estilo de sua casa para acertar nas escolhas, levando em conta a funcionalidade e a estética, para tornar seus momentos de descanso ainda mais especiais.

Temos certeza de que comprar móveis para jardim vai ficar bem mais fácil agora que você conferiu as nossas dicas. E para completar o paisagismo, não se esqueça de combiná-los com uma iluminação bem bonita para poder relaxar ainda mais nesse espaço aconchegante.

Gostou deste post? Então assine nossa newsletter para não perder nenhum conteúdo como este!

Paisagismo: entenda o que é e por que investir na sua casa

Com a urbanização cada vez mais forte, o paisagismo se torna mais necessário. Isso porque o verde realça as formas, humaniza e torna o ambiente mais acolhedor. Apesar dos benefícios, é normal ter dúvidas sobre o que é paisagismo e quais são as suas reais vantagens em uma casa.

Além de proporcionar maior contato com a natureza, ele valoriza o imóvel, oferecendo qualidade e conforto ao uso do espaço. Entenda mais sobre isso nesse texto que preparamos para você!

O que é paisagismo?

É o estudo da composição da paisagem como complemento da arquitetura. Para isso, utiliza áreas verdes nos espaços abertos não construídos e áreas de circulação: entrada, saída, escadas, áreas sociais e de lazer (piscinas, churrasqueiras).

Funciona como complemento ao projeto de arquitetura, disfarçando as imperfeições e gerando um diálogo da obra com a área externa. Trabalha com elementos de botânica, ecologia e estilos arquitetônicos.

Antes de qualquer modificação, o projeto paisagístico estuda as mudanças climáticas da região para escolher a vegetação que se adapta melhor à iluminação e ao solo.

Paisagismo é o mesmo que jardinagem?

Não. Embora o primeiro conceito englobe o segundo, não são a mesma coisa. Os profissionais, as ferramentas e a forma de trabalho são diferentes.

Normalmente, o paisagismo é realizado por um profissional da área de arquitetura e urbanismo, mas também pode ser exercido por botânicos, agrônomos e biólogos especializados.

Já a jardinagem é responsável por dar forma e manutenção ao projeto paisagístico. O jardineiro faz o plantio e cultivo das plantas, como poda e controle de pragas e doenças. Esses cuidados são fundamentais para manter o jardim bonito e saudável.

O que o paisagista faz?

O paisagista trabalha com o conceito e valorização da arquitetura. O ideal é que ele seja contratado antes da execução da obra, pois a arquitetura e o paisagismo caminham juntos. Porém, mesmo que seja contratado depois, ele é capaz de encontrar a melhor solução para as necessidades do cliente com a criação de um projeto paisagístico.

Projeto paisagístico

O projeto é composto inicialmente por um estudo preliminar, investigando as necessidades do cliente e os dados do terreno: morfologia, tipo de solo, orientação em relação ao sol e vegetação existente.

Com esses dados, é construído um anteprojeto. O paisagista apresenta desenhos em planta, com destaque para a visualização do jardim.

Após as considerações do cliente, podem ser acrescentadas algumas alterações e adaptações, definindo então o projeto executivo, que reúne todas as informações em plantas detalhadas. Nessa etapa são sugeridos sistemas de drenagem, irrigação, espécies de flores, equipamentos e iluminação.

Por último vem o projeto de plantio, especificando as vegetações e quantidades necessárias. Ele contém informações sobre adubação, poda e tratamento correto do solo, que irão guiar o jardineiro.

Para construir o projeto, o paisagista vai aplicar os seus conhecimentos sobre agronomia, topografia, geografia, geologia, botânica, irrigação e design. O resultado será um jardim funcional e um visual harmônico.

Quais as vantagens do paisagismo?

Ambientes que possuem paisagismo geram efeito tranquilizante, sensação de liberdade e de bem estar.

Também apresentam conforto térmico devido a sombra, respiração das espécies e ventilação. Além disso, uma casa com projeto paisagístico bem elaborado e executado é mais valorizada no mercado, aumentando o seu valor de venda.

Ficou claro o que é paisagismo? Dá até vontade de sair comprando algumas plantas, não é mesmo?

Lembre-se de que existem profissionais especializados para desempenhar essa função e capazes de trazer beleza, amplitude e aconchego ao seu lar.

Gostou do texto? Então assine a nossa newsletter e receba mais conteúdos relacionados a esse tema!

Entenda a importância do paisagismo para sua casa

A importância do paisagismo supera o aspecto estético de um imóvel.

Casas e apartamentos podem se tornar espaços mais aconchegantes e melhor aproveitados, a partir de soluções paisagísticas. Com esse “upgrade” no imóvel, o visual ganha destaque e o valor de revenda sobe.

Além de transformar o local em um ambiente mais bonito e agradável, o paisagismo pode colaborar para o bem estar físico e mental dos moradores e frequentadores do lugar.

Conheça os recursos que o paisagismo oferece para tornar o ato de estar em casa uma escolha mais prazerosa.

A importância do paisagismo em tempos de seca

Segundo a Organização Mundial de Saúde, o nível de umidade do ar ideal é 60%. A OMS diz que a umidade relativa do ar deve ser maior que 30% para que seja considerada “aceitável”.

Em tempos de seca persistente, quando a umidade do ar pode chegar a apenas 10%, como acontece em Brasília, o paisagismo é um recurso inteligente para manter o conforto dentro de casa.

As plantas retêm a umidade no ambiente e podem ajudar a tratar e prevenir doenças alérgicas e respiratórias, como asma, rinite, bronquite e sinusite.

Benefícios do paisagismo para a saúde

  • diminui o desconforto causado por vias aéreas ressecadas;
  • proporciona um ambiente com ar bem menos poluído;
  • permite o plantio de alimentos frescos e orgânicos.

Alimentação melhor

O projeto paisagístico pode incluir plantas aromáticas e medicinais, como ervas, temperos e outras folhagens, favorecendo uma alimentação mais saudável por meio do consumo de produtos naturais, cultivados em uma “horta” caseira.

Menos fungos

O paisagismo também é uma alternativa inteligente aos umidificadores elétricos. Esses equipamentos podem ser ineficientes para manter o ar do ambiente inteiro com a umidade adequada, além de serem foco e dispersores de ácaros, fungos e bactérias.

Conforto térmico

A “respiração” e a umidade das plantas mantêm o recinto mais fresco, reduzindo a temperatura em até 10 Graus e diminuindo a sensação de calor. Nesse caso, o paisagismo acaba eliminando ou reduzindo a necessidade de usar equipamentos para a climatização do ambiente, como aparelhos de ar condicionado.

As plantas podem ser utilizadas estrategicamente próximas às janelas, funcionando como uma cortina verde para barrar a entrada dos raios solares.

Soluções do paisagismo para tempos de seca

Recursos paisagísticos

O projeto paisagístico pode trazer beleza e colaborar para o conforto térmico e acústico nos ambientes, utilizando recursos como:

Contato com a natureza

O paisagismo é a maneira de integrar elementos vivos ao projeto arquitetônico da casa, permitindo que a decoração inclua itens naturais como árvores, plantas, flores e água.

Em tempos de seca e baixa umidade do ar, torna-se especialmente importante ter um ambiente bonito, acolhedor e aconchegante em casa, para recuperar o corpo e a mente dos períodos de exposição às condições insalubres fora de casa.

Gostou das nossas dicas? Entre em contato conosco, entenda mais sobre a importância do paisagismo e conheça as soluções paisagísticas que podem tonar a sua casa um lugar ainda mais especial.

Vale a pena ter um jardim em casa? Descubra agora!

Um jardim em casa pode ser o refúgio ideal no final do dia, depois de tanto trabalho. Ter um espaço para contemplar e sentir-se bem em casa influencia a nossa qualidade de vida, com efeitos diretos sobre a nossa saúde e bem-estar.

Como nem sempre é possível chegar em casa e descansar, o jardim pode ser aproveitado como um espaço de pequena pausa, como um elemento que ajuda a relaxar e recuperar as energias para continuar a produzir.

Se você ainda não tem o seu jardim em casa, leia esse artigo agora e veja como a sua vida pode melhorar com um cantinho verde para chamar de seu.

Decoração viva que impressiona

A decoração viva é impossível de ser ignorada. Seja pela cor das flores, pelo aroma das plantas ou apenas pela sensação agradável que deixa no ar do ambiente, o jardim em casa é um elemento-chave na decoração da casa de quem gosta de receber melhor seus amigos e familiares.

A beleza natural é encantadora e torna a decoração agradavelmente marcante, sem necessidade de investimentos exorbitantes.

Jardim em casa para cuidar da saúde

As flores e plantas naturais oferecem efeitos benéficos para a saúde física e mental, apenas pelo fato de proporcionarem mais contato com a natureza. Além, é claro, do poder cientificamente comprovado de algumas espécies medicinais.

Flores e plantas tornam o clima mais agradável

Incluir um jardim em casa ajuda a equilibrar a temperatura do ambiente, reduzindo os efeitos dos raios ultravioletas.

Além disso, as flores e plantas mantêm a umidade e melhoram a qualidade do ar. Algumas espécies têm até a capacidade de purificar o ar do ambiente.

Ambiente mais acolhedor e silencioso

Os arbustos, as árvores, as plantas e as flores podem ser utilizados como uma barreira acústica natural, bonita e discreta, com a finalidade de reduzir a chegada de ondas sonoras ao ambiente.

Um jardim vertical também pode ser uma solução interessante para privacidade.

Incentivo para uma alimentação mais saudável

Um cantinho verde em casa pode ser uma oportunidade para incluir ervas e temperos naturais na rotina alimentar da família.

Ter esses ingredientes fresquinhos, sempre à mão, é um privilégio que pode perfumar o ambiente e tornar os pratos mais saudáveis.

Espaço inspirador para mentes que não podem parar

Poder relaxar ente os “turnos” do dia é revigorante e inspirador, mas, acima de tudo, é necessário.

Usufruir de um espaço em casa para esvaziar a cabeça e “recarregar as baterias” é fundamental para ter criatividade e foco e dar conta de todas as atividades do cotidiano.

Incluir um jardim em casa é uma escolha para decorar com requinte, sem despender valores muito altos. 

Um jardim em casa precisa ter a “cara” da casa e da família. Por isso, o paisagismo se aplica na decoração de ambientes internos e externos, de forma inteligente, considerando as necessidades e características específicas de cada espaço.

Gostou deste artigo sobre as questões relacionadas a ter um jardim em casa? Siga-nos no Facebook e no Instagram para acompanhar nossas dicas sobre a utilização da área verde dentro da sua casa!

Conheça o que é um projeto paisagístico

A área externa da casa é tão importante quanto a interna, pois complementa a arquitetura e o design da casa. Além disso, é onde são criados espaços de convivência maravilhosos em contato com a natureza, e ainda melhoram muito a qualidade de vida.

Mas para garantir esse efeito, é preciso que o paisagismo do local seja planejado por profissionais, pois ele vai muito além da simples jardinagem. Aliás, paisagismo é conceituado como a arquitetura da paisagem.

Para que você saiba o que é e como é feito o projeto paisagístico, elaboramos este artigo. Continue lendo!

O que é projeto paisagístico?

É a representação gráfica de como ficará a área externa. Nele constam desenhos e informações escritas de forma detalhada de como será elaborado o trabalho.

Assim, o cliente pode visualizar a obra e analisar previamente se está de acordo com o que idealizou. Da mesma forma, os detalhes descritos possibilitam que os executores sigam as diretrizes e cronogramas para que o resultado seja perfeitamente como o planejado.

Para elaborar o projeto paisagístico é preciso o estudo do solo, topografia, disponibilidade de água no local, incidência solar, clima predominante, conhecimento de botânica e de arquitetura.

O projeto é realmente necessário?

Certamente é fundamental. Isso porque é feito de modo a integrar a área externa com a interna.

Somente através do projeto é que se pode atender às necessidades e desejos do cliente, aliando-os aos requisitos técnicos já citados. Ele é crucial para que os executores sigam o passo a passo da intervenção do lugar.

Ademais, só o paisagista é capaz de identificar as potencialidades do local, bem como seus problemas e suas respectivas soluções.

Quais as etapas do projeto paisagístico?

Há essencialmente 3 etapas que é preciso seguir:

1. Estudo preliminar

Consiste no levantamento de dados técnicos como: estudo do solo, microclima, medição do espaço disponível, iluminação, disponibilidade hídrica, topografia, estilo arquitetônico. Também é a etapa na qual o profissional analisa quais os desejos, expectativas e necessidades do cliente, a rotina do local e seus acessos.

Com esses dados em mãos, o paisagista fará um esboço da obra com todos esses fatores inter-relacionados. A seguir, passa-se para a próxima etapa.

2. Anteprojeto

É a fase que apresenta graficamente as ideias e objetivos do planejamento. Isso é feito por meio da planta baixa, detalhando os aspectos estéticos e funcionais.

Pode conter fotos demonstrativas das plantas que serão utilizadas, vasos, arandelas, pergolados, decks, pedras, enfim, tudo o que for preciso para que o cliente consiga começar a visualizar como ficará a obra.

Após a aprovação do anteprojeto, é realizado o passo seguinte.

3. Projeto executivo

É a fase final. Trata-se do desenvolvimento detalhado do anteprojeto. Ou seja, é nessa fase que são integrados os projetos complementares — elétrico, hidráulico, estrutural.

Além disso, apresenta manual de manutenção do local e plantas, orçamento, contrato de execução, relação das espécies e materiais utilizados e memorial botânico com fotos. Isto é, tudo o que for necessário para a efetivação da obra e sua futura manutenção.

Portanto, como você percebeu, o projeto paisagístico é imprescindível para se ter uma área externa incrível, funcional e que seja um convite à permanência no local. Afinal, esse espaço oferece uma qualidade de vida que somente a natureza pode oferecer.

Gostou desse post sobre paisagismo? Possui um ambiente assim ou pretende ter? Deixe seu comentário e compartilhe sua experiência conosco!

O que você precisa saber para escolher um paisagista

Se tem uma coisa que revistas, filmes, propagandas e programas de televisão nos ensinaram é que não há nada mais bonito do que um belo jardim, cheio das mais variadas plantas, decoração impecável e cores agradáveis. E essa visão lúdica e aprazível de um paraíso particular pode ser criada por um paisagista.

Uma das grandes tendências na arquitetura e na decoração é a busca por meios de se aproximar da natureza. Por isso, profissionais como os paisagistas têm sido cada dia mais requisitados. São eles que criam, planejam e executam os sonhos estéticos de quem deseja ter um belo jardim.

Não por acaso, paisagistas são considerados artistas talentosos, capazes de projetar ambientes repletos de harmonia, cores, texturas, formas e beleza. Acompanhe este post, entenda um pouco mais sobre a profissão e aprenda como escolher um bom profissional!

Quem é o paisagista?

É o profissional treinado para fazer das plantas as grandes estrelas em um ambiente ou uma decoração. É a pessoa que, além disso, consegue integrar elementos complementares à paisagem criada, como pisos, caminhos, fontes, piscinas, acessos, áreas de lazer, entre outros.

E o paisagismo, apesar de ter ganhado o gosto popular recentemente, é secular. No Brasil, ele chegou junto com a família real. Dom Pedro II foi quem solicitou e financiou projetos como dos parques de Campo de Santana, São Cristóvão e São Clemente no Rio de Janeiro.

Referência da profissão, Roberto Burle Marx encantou o mundo com a inovação de suas obras. Paisagista autodidata, ele uniu em seus projetos outros talentos como os de artista plástico, pintor, designer, arquiteto e tapeceiro. Isso lhe rendeu parcerias com arquitetos como Lúcio Costa e Oscar Niemeyer.

O que ele faz?

Muitos o chamam de artista da natureza, uma alcunha delicada e gentil, já que é o paisagista quem assume a responsabilidade de projetar lugares destinados à diversão e bem-estar como praças, parques, espaços públicos, áreas verdes de empresas, jardins de casas, locais recreativos de condomínio, entre outros.

Entre suas funções está a defesa da ecologia, os cuidados com o meio ambiente e projetos de restauração e preservação já que é exigido dele conhecimentos técnicos de arquitetura, agronomia, botânica e engenharia florestal. 

É uma profissão regulamentada?

Apesar da polêmica sobre esse assunto, já que a Organização Internacional do Trabalho reconhece o paisagismo como profissão independente, a maior preocupação é a de criar órgãos reguladores e fiscalizadores que garantam a qualidade do profissional. 

Hoje, os profissionais paisagistas são apoiados pela Associação Nacional de Paisagismo, fundada em 1995. Apesar de não haver uma formação acadêmica específica para paisagista, existem incontáveis cursos e especializações na área.

Há uma grande luta pela regulamentação e consequente valorização da profissão. Isso possibilitaria uma concorrência mais leal entre os profissionais e um fortalecimento da categoria. 

O fascínio por essa profissão tão criativa tem crescido cada dia mais já que o paisagista não deixa apenas a paisagem bela… deixa o ambiente mais agradável, o ar renovado e o espaço vivo. Quer saber mais sobre o assunto? Curta nossa página no Facebook e não perca nadinha! Aproveite para conhecer nosso site e nos seguir no Instagram!